domingo, 9 de novembro de 2014

O Menino.

O Menino.
Eu sou o cavaleiro de coração valente.
Que se refrega em desejo ardente.
Sofre e chora.
Mais ainda assim luta.
Teme e hesita.
Mesmo quando o medo não se justifica.
Mas que também erra em agir livremente.
Eu.
Eu sou o corcel valente.
Que se perdeu ao correr livremente.
Enquanto isso o destino...
O destino não aguarda.
 Mas caminha em direção a pastagens fartas.
Em outra região.
E eu... é eu, sou o menino sonhador que olha o céu e ora por amor.
Mas que teme a decepção, por tanto hesita sem ambição de crescer e viver.
De amar e sofrer, de ter-te aqui.
De... de te fazer sentir a pele queimar apenas ao tocar.
Com dedos apaixonados num caminho transtornado.
Da ternura ao avassalamento de fora e fazer-te sentir por dentro.
É mas sou eu...
O que espera e ora.
E se perde na demora.

B.M.

Nenhum comentário:

Postar um comentário