sábado, 8 de novembro de 2014

A língua.

A Língua.
Aqui entrego meus pecados.
Aqui rogo absolvição.
E peço-lhe.
Que com sua língua testemunhe em meu favor.
E com sua língua escreva nas linhas de minha imaginação.
Confissões das quais não esquecerei.
Confissões das quais compartilharei.

E as quais protegerei com minha vida.

B.M.

Nenhum comentário:

Postar um comentário