segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Fortuna



Meu engodo me destrói, ao tentar esconder meus erros, como fere perceber que renegamos as mais sagras oportunidades para ser feliz, vivenciar a beleza, por falsa cautela, por medo, deixamos que se vá o verdadeiro tesouro de nossas almas, o momento em que nus daremos conta em que estamos felizes, eu próprio cometi por diversas vezes o erro letal de deixa-la passar por mim, ó fortuna, mais da próxima vez que o sol lançar sobre mim teus raios dourados me entregarei em seu abraço, como a uma amante, minha donzela, aguarda por mim que regresso, espera que a alcance, pois o vazio consome, e so serei completo em seu peito...aguarda-me fortuna pois nunca lhe trai... E pelos infinito lhe serei fiel...
B.M.

Nenhum comentário:

Postar um comentário